Todos os tipos de mamas são perfeitas para amamentar?

Tempo de leitura: 3 minutos

Logo após o nascimento, muitas mães sentem insegurança para amamentar. Embora o bebê consiga sugar bem, pode ser que não consiga mamar se não estiver em uma posição adequada.

Todas os tipos de mamas produzem leite, mas é muito importante conhecer muito bem a sua para verificar a melhor forma de amamentar seu bebê.

Diferentes tipos de mamas. Diferentes mamilos.

AmamentacaoPoliana

 

Existem diferentes tipos de mamas:  pequenas,  grandes, volumosas, em forma de gota, flácidas, assimétricas, e outras.

Há também diferentes tipos de mamilos: protruso, muito protruso, plano, invertido e falso invertido. A aréola apresenta diferentes tipos de coloração, desde rosa claro, podendo chegar até a cor preta.

E se tiver realizado uma mamoplastia?

Muitas mulheres passam por procedimentos cirúrgicos nas mamas: mamoplastia (redução da mama), implante de silicone, retirada de cistos, de fibroadenomas, de nódulos, de abcessos e outros.

Em alguns casos, quando a aréola é retirada e depois reimplantada, muitas vezes, a excreção do leite pode ser prejudicada.

Ainda no caso da mamoplastia, quando a retirada do tecido mamário é acima de 300 gramas, pode acarretar uma diminuição da produção de leite.

As mamas devem ser avaliadas ainda  no pré natal por um médico ou enfermeiro (especialista em amamentação),  minimizando, assim, problemas que podem ser resolvidos até a chegada do bebê.

Como já falamos no início do artigo, todos os tipos de mamas produzem leite, independente do seu volume ou da sua forma.

Ela é formada por um tecido glandular capaz de produzir leite que é conduzido através de pequenos canais até o mamilo.

Entendendo a mama.

Todos os tipos de mamas possuem, entre 10 e 20 canalículos (furinhos) por onde o leite é excretado.

Na aréola existem pequenas elevações (glândulas de Montgomery), que são mais visíveis durante a gravidez.

Elas parecem pequenas espinhas que produzem um líquido oleoso que ajuda a manter a pele do mamilo lubrificada e macia e têm ação antimicrobiana (mantém a aréola livre de bactérias), além de exalarem um odor semelhante ao do líquido amniótico, atraindo o bebê para a pega.

As diferenças nos tamanhos das mamas e dos mamilos, muitas vezes, provocam na mãe insegurança e o medo de não conseguir amamentar.

Mesmo que a mãe tenha a “mama perfeita”, isso não garante o sucesso da amamentação.

A falta de orientação pode acarretar prejuízos no processo da amamentação.

Uma mama que apresenta mamilo invertido, pode dificultar a amamentação, porém existem técnicas que auxiliam a mãe a desfrutar do privilégio de amamentar sem nenhum prejuízo para o bebê.

Mamas muito volumosas podem dificultar a mãe na hora de colocar o bebê no seio.

Dificuldades que se apresentam quando a mãe está pronta para oferecer o peito ao seu bebê, às vezes, é  a ‘gota d’água’ para a desistência e a consequente perda dos benefícios da amamentação que acompanham a mãe e o bebê por toda a vida.

O melhor remédio para a insegurança é o conhecimento! Consulte ajuda especializada para fazer uma avaliação da sua mama e a para orientá-la quanto a melhor forma e os melhores acessórios, se for o caso, para amamentar seu filho.

Se você gostou deste artigo, por favor compartilha com mais pessoas para que outros tenham acesso a estas dicas. Deixe seu comentário com sugestões de assuntos a serem abordados ou com suas dúvidas que terei o maior prazer em respondê-las.